Rua Capuraque, 72 - Belo Horizonte - Floresta \ MG 31 3654-4895

5 dicas para evitar incêndio em condomínios

Gostou? compartilhe!

5 dicas para evitar incêndio em condomínios

Introdução

Curto-circuitos em aparelhos eletrônicos mal instalados, panela esquecida em fogão ligado, vazamento de gás na cozinha, fiação exposta. Esses são alguns dos principais motivos relatados por moradores que já sofreram com incêndios em suas casas. Quando ocorrem em prédios, os prejuízos costumam ser maiores e os riscos aumentam devido à proximidade entre os apartamentos e a presença de maior número de pessoas, aparelhos e objetos inflamáveis.

Embora seja difícil encontrar dados sobre incêndios em condomínios, o Brasil é um dos países que registra maior índice de mortes por incêndio ou exposição à fumaça. Em 2011, o Sistema Único de Saúde (SUS) registrou 1.051 óbitos. De acordo com o Ministério da Justiça, somando queimadas florestais e incêndios residenciais, são, em média, 267 mil ocorrências registradas todos os anos.

Incêndios são motivo de preocupação pelo potencial de danos que podem causar, que vão desde a morte de pessoas e animais até contaminação e perda de bens materiais que, em muitos casos, pode ser irreversível. Neste e-book, vamos destacar 5 dicas para evitar que esse tipo de incidente ocorra em seu condomínio. Confira!

1. Aprenda como obter o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros

Nos últimos anos, um incêndio de grandes proporções comoveu o país. Após uma apresentação pirotécnica, o teto da boate Kiss, na cidade de Santa Maria (RS), pegou fogo. No acidente, 242 pessoas morreram e quase 700 ficaram feridas. Durante as investigações do caso, as autoridades identificaram que o alvará do Plano de Prevenção e Combate a Incêndio fornecido pelo Corpo de Bombeiros estava vencido.

Em casos como o da boate Kiss, uma série de equívocos contribuíram para a grande proporção do incêndio e para a quantidade de óbitos registrados no caso. As mais de duas centenas de pessoas falecidas e as feridas no local sofreram queimaduras, asfixiamento por causa da fumaça e pisoteamento, o que evidenciou uma série de problemas que poderiam ter sido evitados caso o estabelecimento tivesse um Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) em dia.

Quando pensamos em um incêndio em um condomínio ou outro local fechado, devemos ter em conta uma série de procedimentos que devem ser adotados para minimizar os danos em caso de acidente. Sinalização, saídas de segurança, sistema de ventilação, equipamentos para combate a incêndio e presença de uma brigada de combate a incêndio são alguns desses itens. E é aí que vemos a importância do AVCB.

O que é o AVCB?

É um documento emitido pelo Corpo de Bombeiros de um estado, que atesta que um estabelecimento, como indústria, loja ou edifício, por exemplo, está adaptado a facilitar uma evacuação em caso de pânico e a entrada de bombeiros para o combate adequado a um incêndio.

Como obter o documento?

Como não há um padrão nacional definido, o proprietário do estabelecimento deve executar o Projeto de Segurança contra Incêndio e Pânico, elaborado por um profissional habilitado e aprovado pelo Corpo de Bombeiros. Quando a execução tiver sido concluída, a corporação é novamente acionada para atestar se o edifício cumpriu as determinações de forma rigorosa.

Quando é necessário tirar o AVCB?

Basicamente, o auto deve ser emitido (ou renovado) em algumas situações que exigirem mudanças no projeto inicial, como a construção de um prédio ou de uma área de risco, reforma, mudança de ocupação ou uso, ampliação da área ou da altura da construção, regularização das edificações.

2. Entenda quando e por que contratar um bombeiro civil 

Em algumas cidades brasileiras, a legislação municipal exige a presença de uma unidade de combate a incêndio formada por bombeiros civis. A profissão foi regulamentada em 2009 e, conforme o texto, o bombeiro civil é o profissional que exerce a atividade “de prevenção e combate a incêndio, como empregado contratado diretamente por empresas privadas ou públicas, sociedades de economia mista, ou empresas especializadas em prestação de serviços de prevenção e combate a incêndio”.

Esses profissionais devem ter formação em um curso específico que engloba uma série de conhecimentos, como normas e regras, aulas teóricas e práticas para uso de equipamentos, treinamento de combatente, entre outros. As legislações municipais determinam quais estabelecimentos precisam manter uma unidade com bombeiros civis. Em geral, são condomínios que têm grande circulação de pessoas, shoppings, supermercados, estádios, casa de shows etc.

A função de um bombeiro civil é, principalmente, proteger pessoas e patrimônios dos riscos causados não só por incêndios, mas também por vazamentos, enchentes e outros fenômenos. Ele é responsável por inspecionar e utilizar equipamentos de segurança e também é treinado para realizar salvamentos na água, na terra e no ar, além de primeiros socorros. Outra função dos bombeiros civis é treinar brigadistas em determinadas empresas. A legislação determina que qualquer instituição com mais de 20 funcionários deve ter equipes treinadas para lidar com algum tipo de incêndio.

Bombeiro civil ou bombeiro militar?

A pergunta é comum: por que existe a função de bombeiro civil se já há os bombeiros militares? O Corpo de Bombeiros Militares é um órgão estatal, de responsabilidade do governo estadual e integra parte da sua estrutura (geralmente ligado à Secretaria de Segurança Pública). Os bombeiros militares são servidores públicos e só podem ingressar na corporação por meio de concurso.

Já os bombeiros civis são ligados a entidades privadas e, por isso, eles não podem exercer funções de caráter público ou ser confundidos com os bombeiros militares. Em geral, os bombeiros civis são contratados por empresas para trabalhar em locais com grande circulação de pessoas (boates, shoppings centers, estádios).

3.Saiba como adquirir o seguro dos bombeiros 

O alvará do Corpo de Bombeiros é uma espécie de garantia de que um determinado estabelecimento foi vistoriado e classificado como seguro. Para isso, o Corpo de Bombeiros deve analisar uma série de aspectos, como:

  • Instalação e manutenção de equipamentos de combate a incêndio e de utilização de gases inflamáveis;
  • Instalação do sistema de pressurização de escada de segurança;
  • Instalação de revestimento de estruturas para proteção contra fogo;
  • Sistema de chuveiros automáticos;
  • Formação de brigada contra incêndio;
  • Sinalização e saídas de emergência.

De modo geral, todo local que vai passar por uma mudança estrutural (como grandes reformas, por exemplo), deve fazer o procedimento para obter o alvará dos bombeiros, exceto moradias unifamiliares. Sempre que esse tipo de mudança for feita, é preciso levar em consideração que o projeto da reforma já deverá contar com as determinações dos órgãos competentes, para evitar que alguma coisa tenha que ser refeita quando os bombeiros forem vistoriar o imóvel.

Para obter o documento emitido pelo Corpo de Bombeiros, é necessário cumprir uma série de pré-requisitos definidos pela corporação. Após a realização dos procedimentos, uma equipe dos bombeiros é chamada ao local para realizar a vistoria e verificar se são necessários novos ajustes. O documento tem validade de um a três anos (conforme o projeto) e o empreendimento deve passar por novas vistorias sempre que o documento estiver prestes a vencer.

4. Conheça as principais informações sobre extintores de incêndio 

Conhecer os tipos de extintores de incêndio, suas substâncias e para que tipo de incêndio eles são eficazes é fundamental para evitar que um desastre se torne algo ainda mais grave. Isso porque o incêndio pode atingir diferentes tipos de estrutura e materiais e, por isso, tem que ser combatido de modo específico. Os incêndios são classificados por letras: A, B, C e D.

Há quatro tipos de extintores disponíveis no mercado hoje em dia, que utilizam substâncias diferentes em sua composição e, por isso, atuam de forma diferente sobre o foco de incêndio:

Água pressurizada

É aquele que atira um jato de água pressurizada sobre a base do fogo. Age por meio do resfriamento e abafamento do foco de incêndio. Pode ser aplicado em incêndios de classe A, que atinjam estruturas de madeira, papel, tecido e outros materiais sólidos, em geral.

Gás carbônico

Conhecido como extintor de CO2 (dióxido de carbono), deve ser manuseado com cuidado, para não causar queimaduras. O extintor de gás carbônico não é condutor de eletricidade e, portanto, é indicado para incêndios de classe C, que atingem equipamentos elétricos energizados.

Pó químico seco

É um dos mais comuns e pode ser usado em praticamente qualquer tipo de incêndio, como o de líquidos inflamáveis (classe B), além dos incêndios de classe A e C.

Pó químico especial

Também age por abafamento, mas é indicado somente para combater incêndios de classe D, que envolvem metais inflamáveis.

Conforme orientações do Corpo de Bombeiros, os extintores de incêndio devem ficar em locais visíveis, de fácil acesso e sinalizados. Proprietários de empresas e brigadistas devem prestar atenção à data de validade dos equipamentos (que devem ser trocados quando estiverem para vencer) e o tipo de material em que cada extintor age. Os extintores devem indicar sua classe (A, B, C ou D) de maneira visível. Outra preocupação é que o lacre esteja intacto, o que garante que aquele extintor não foi violado ou usado anteriormente.

5. Veja a importância da simulação de abandono 

Uma das exigências para que o Corpo de Bombeiros conceda o Auto de Verificação a um estabelecimento é a presença de um plano de abandono do edifício. Em alguns estados, é exigido que as empresas façam ao menos duas simulações de abandono ao ano.

E por que isso é importante? Em uma situação causada por um incêndio, a maior parte das pessoas não faz ideia de como agir em um ambiente tomado por colunas de fumaça, e o pânico toma conta dos funcionários ou moradores.

Um treinamento específico, como no caso das simulações de abandono de edifício, permite que as pessoas que trabalham ou vivem no prédio conheçam melhor as rotas de fuga, a saída de emergência, as portas corta-fogo e uma série de equipamentos e dicas fundamentais para evitar que um incêndio seja agravado por uma situação de pânico. Para isso, é necessário seguir algumas recomendações básicas:

  • Ficar calmo;
  • Manter a ordem;
  • Seguir as orientações de brigadistas e líderes de brigada;
  • Deslocar-se em direção à saída de emergência, em fila.

Outro aspecto importante dessas simulações de abandono é que os funcionários da empresa ficam conhecendo os brigadistas e os líderes em cada processo, que são pessoas que passaram por um treinamento com o Corpo de Bombeiros e têm conhecimento para liderar o restante do grupo em uma situação desse tipo. Isso cria um ambiente de maior segurança, em que o líder e os demais brigadistas atuam para garantir que as pessoas possam deixar o prédio em segurança.

Conclusão

De modo geral, as pessoas não dão a importância que deveriam dar para os riscos de uma situação grave que envolvem um incêndio. Por si só, essa é uma situação que leva a pânico e desespero, e seguir as orientações de brigadistas e bombeiros civis é fundamental. Mas, além de tudo, é preciso se informar sobre equipamentos e normas de segurança para que você e suas equipes (ou seus familiares) consigam sair do local sem maiores problemas.

Neste e-book, nós aprendemos um pouco mais sobre a importância que os estabelecimentos devem dar ao Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros e sobre os demais procedimentos que um estabelecimento ou condomínio devem adotar para garantir a segurança das pessoas.

O desastre na boate Kiss, em janeiro de 2013, gerou uma ampla discussão sobre as normas que são frequentemente descumpridas e mostrou que, sim, as pessoas estão expostas a esse tipo de desastre caso os estabelecimentos negligenciem as regras determinadas pelos bombeiros.

Outro aspecto que deve ser levado em conta é a contratação de uma empresa especializada nas normas de prevenção e combate a incêndio, já que a expertise facilita a implementação e adoção de novas medidas, e é possível economizar tempo e recursos seguindo as determinações de antemão. Investir na segurança da sua equipe é assumir responsabilidades e garantir que, em caso de algum desastre, os danos serão muito menores do que se nada tivesse sido feito.

Sobre a Conceito Projetos

Especializada em projetos e consultorias na área da engenharia civil, a Conceito Projetos atua em Belo Horizonte, com destaque para a regularização de edificações de pequeno, médio e grande porte, a fim de que estas atendam aos parâmetros legais.




Gostou? compartilhe!

Whatsapp CONCEITO Whatsapp CONCEITO